Dica: He named me Malala

malala

Olá senhores delegados! Vamos dar início aos posts, começando com uma dica de documentário!

“He named me Malala”, é um documentário que conta a história de Malala Yousafzai, uma jovem paquistanesa de 18 anos, filha de um professor e que sempre foi incentivada pelo pai a estudar. Apesar das condições precárias da sociedade que viviam, seu pai, Ziauddin Yousafzai, fundou uma escola que aceitava crianças de ambos os sexos e sua maior luta foi mantê-la aberta.

Quando o grupo radical político Talibã chegou à região em que viviam e impuseram suas normas e regras rigorosas, a jovem contestou e não se calou diante da situação que lhe era imposta e, assim, iniciou sua luta pelos direitos de as mulheres em sua sociedade. A menina foi perseguida pelo grupo radical que controlava a região, no distrito de Vale do Swat e, em 2012, levou um tiro na cabeça enquanto voltava da escola, por ser considerada, pelos líderes do Talibã, uma ameaça ao islã ao sugerir que as meninas devessem ir à escola. Passou um longo período se recuperando do atentado e, posteriormente, contou em sua biografia, intitulada como “Eu sou Malala”, que seu objetivo era contar sua história e trazer uma nova perspectiva com sua experiência, empoderando meninas de todo o mundo que são menosprezadas e não têm acesso à educação, pelo seu ativismo, foi a pessoa mais jovem a ganhar um Prêmio Nobel da Paz (2014).

Assim, o documentário mostra um lado da jovem paquistanesa que, apesar de todo o ativismo e influência no cenário internacional, como exemplo, seu discurso na sede da ONU em que disse “uma criança, um professor, um livro e uma caneta podem mudar o mundo”, é uma menina comum que briga com os irmãos, tem dificuldades com certas matérias e se sente tímida em relação aos companheiros de turma em sua escola na Inglaterra, para onde ela e sua família foram exilados após o atentado. Porém, a garota diz que sente falta do seu país, de sua família e de seus amigos e que sente vontade de retornar a ele.

Ao se tornar símbolo da luta pelo direito das mulheres e do movimento feminista, Malala, a garota que foi considerada uma das jovens com menos de 30 anos mais influentes no mundo, em seu filme, diz que chega um momento em que se deve escolher entre silenciar e se rebelar, ela escolheu representar as 66 milhões de garotas que, assim como ela foi em seu antigo país, são privadas do direito de possuir educação e, nesse momento, as palavras se tornam mais poderosas que armas, pois ela não é uma única voz.

Bem-vindos!

CSW-60

Sejam bem-vindos, senhores delegados!

Esse é o blog do Comitê que simulará a Comissão Sobre a Situação das Mulheres na 17ª edição do Modelo Intercolegial das Nações Unidas (MINIONU). O MINIONU é um projeto de extensão da PUC Minas que tem como objetivo proporcionar aos alunos do Ensino Médio um ambiente de discussões diplomáticas sobre temas de relevância internacional. Nosso Comitê discutirá sobre empoderamento e igualdade de gênero e a relação com o desenvolvimento sustentável.

O comitê baseia-se na 60ª Comissão Sobre a Situação das Mulheres, ocorrida entre 14 e 24 de março deste ano. Tendo em vista a importância que as mulheres e meninas possuem no processo de desenvolvimento, uma vez que são as mais afetadas pela insustentabilidade socioeconômica e ambiental e, ainda, reconhecendo o papel fundamental que elas exercem no estímulo ao desenvolvimento justo e igualitário, vocês simularão formas de conciliar que a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e os Objetivos do Milênio sejam uma realidade para meninas e mulheres ao redor do mundo.

Todo o material necessário para as discussões serão postados aqui no blog, sendo de suma importância a leitura dos guias e dos posts para a total compreensão do tema e produtividade dos debates. Porém, quaisquer dúvidas, vocês podem nos procurar pelo email 17minionucsw2016@gmail.com ou pela página do Facebook.

Atenciosamente,

Equipe CSW 60