Colocando as mulheres a frente da mudança climática e de resposta a desastres no Pacífico

SOLAR

Engenheira de Energia Solar de Fiji, Reapi Waiteleca, e sua aprendiz Kadavu, em 2013. Foto: UN Women/Laura Cleary

Reapi Waitaleca é uma avó na aldeia de Nabouwalu na ilha de Fiji de Kadavu. Ela também é uma engenheira de energia solar treinada, que instalou painéis solares para todas as famílias em sua aldeia e criou uma oficina solar. Ela agora está treinando uma graduanda do ensino médio de 18 anos de idade como uma engenheira aprendiz.

“No sábado, eu estava ocupada com a lavagem então eu pedi a ela [jovem aprendiz] para fixar o controlador de carga no salão comunal e ela o fez” disse Reapi.

Reapi é uma das 10 mulheres de Fiji que instalaram painéis solares para 376 famílias em 12 aldeias ao redor Fiji, depois de participar do “Mulheres Rurais iluminam o Pacífico”, programa que incluiu seis meses de treinamento na Índia. O programa vê a ONU Mulheres trabalhando com a Barefoot College para dar às mulheres uma fonte de renda e maior influência dentro de suas aldeias, fornecendo exemplos que podem inspirar outras mulheres e meninas para olhar além dos papéis tradicionais de gênero.

 Desta forma, a energia solar torna-se muito mais do que uma fonte de energia amiga do ambiente. Para muitas comunidades remotas do Pacífico, sem acesso às suas redes nacionais, ela também representa uma solução de energia eficaz que pode estimular o progresso na redução da pobreza, a igualdade de gênero, educação e saúde.

Sendo um conjunto de ilhas nações pequenas, isoladas e de baixa altitude, a região do Pacífico está entre os primeiros a sentir os efeitos das mudanças climáticas – de eventos climáticos extremos a outras formas de danos ecológicos, como o aumento do solo e salinidade da água. A maioria dos países e territórios insulares do Pacífico já estão enfrentando esses perigos relacionados com o clima.

 Estudos estimam que 18 milhões de pessoas foram afetadas por desastres relacionados com o clima nas ilhas do Pacífico , mais de 1,2 milhões na década de 1980 [1]. De acordo com o Fundo Internacional das Nações Unidas para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA), um aumento de 2 por cento da temperatura pode elevar a intensidade de ciclones tropicais no noroeste do Pacífico de 12 a 15 por cento [2].

Mulheres do Pacífico têm competências essenciais e conhecimentos sobre fontes limpas de água, preparação de alimentos, agricultura e os meios de subsistência; No entanto, elas são muitas vezes excluídas dos processos de tomada de decisão em torno da adaptação às alterações climáticas e mitigação, bem como da gestão de risco de desastres.

Elas também enfrentam uma série de impactos secundários intangíveis a sequência de catástrofes. Muitas vezes enraizados na desigualdades de gênero existentes, estes impactos podem incluir taxas de violência de gênero sexual, o acesso desigual à assistência humanitária, perda de oportunidades econômicas e um aumento da carga de trabalho. Depois de dois ciclones tropicais atingirem Tafe Province, em Vanuatu, no ano de 2011, o Centro Tanna de Aconselhamento da Mulher relatou um aumento de 300 por cento nos novos casos de violência doméstica [3].

A ONU Mulheres oferece treinamento, suporte e recursos para mudanças climáticas e de gestão de desastres profissionais no Pacífico, a fim de ajudá-los a suprir as diferentes necessidades das mulheres e homens.

Um desses recursos é o Kit de gênero do Pacífico e das Alterações Climáticas. O kit foca-se na segurança alimentar, água, energia e redução de desastres de risco – e foi desenvolvido para ajudar a dissipar os mitos em torno do gênero. Ele é destinado a profissionais de mudanças climáticas que trabalham em governos nacionais, organizações não-governamentais, bem como organizações regionais e internacionais.

O kit é o resultado da colaboração entre a ONU Mulheres, a Secretaria da Comunidade do Pacífico, a Empresa Federal Alemã para a Cooperação Internacional (GIZ), a Secretaria do Programa Ambiental Regional do Pacífico e o PNUD. Um programa de treinamento e acompanhamento está agora em andamento.

[1] Anderson, C L. (November 2009) “Gendered dimensions of disaster risk management, natural resource management, and climate change adaptation in the Pacific”. SPC Women in Fisheries Information Bulletin #20.

[2] IFAD, 2012. Climate Change Impacts: Pacific Islands.

[3] UN OHCHR, 2011. Protecting the Rights of Internally Displaced Persons in Natural Disasters. Challenges in the Pacific.

Tradução: CSW 2016 – 17º MINIONU

Postado originalmente por: ONU Mulheres <http://www.unwomen.org/en/news/stories/2014/6/disaster-response-in-the-pacific&gt;

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s