De onde eu estou: Laura Bosnea

Moldova_FromWhereIStand_Riscani11_675x450

“Quando eu tinha 21 anos, meu marido me ‘roubou’* do meu pai. Eu era uma estudante na época. Meu pai concordou, com uma condição – se meu marido me permitisse terminar a faculdade de direito. Mas acabamos tendo dois filhos e eu não pude completar meus estudos.

Eu não era do tipo de ficar em casa, logo, me envolvi nos assuntos da comunidade. Como uma mulher Roma, eu queria ter certeza que os direitos dos Roma fossem  respeitados em nossa comunidade, por isso tornei-me uma mediadora entre a comunidade Roma e da administração local. Não demorou muito antes de eu ser eleita para o conselho local. Em 2015, tornei-me uma das primeiras duas vereadoras Roma na Moldávia. Mas eu tenho apenas 28 anos de idade e como uma mulher Roma jovem, é difícil obter o reconhecimento.

Meu marido me acusa de abandonar os meus filhos. Dia após dia, de sol a sol, eu tento ajudar outras crianças, enquanto uma babá cuida dos meus próprios. Para o meu marido, a mulher deve ficar em casa para cuidar das tarefas domésticas e crianças. Eu tento persuadi-lo de que meu objetivo é ajudar as pessoas desfavorecidas e lutar por justiça.

Mas meus esforços estão dando frutos. Desde que me tornei conselheira, 79 crianças ciganas foram registrados em escolas. Agora, as ruas habitadas por Roma tem iluminação e lixeiras foram instaladas. Você pode pensar que essas são pequenas realizações, mas eu lutei duro para fazê-las. Meu plano para o futuro é a graduação da escola de direito e construir um centro comunitário para mulheres e crianças dos grupos vulneráveis. Eu sinto que esta é a minha missão aqui.”

E_SDG_Icons_NoText-10

Laura Bosnea , 28, foi eleita para o conselho local em Râşcani City, em 2015, como uma das primeiros vereadoras Roma na Moldávia. Antes de concorrer, ela participou de diversos treinamentos de campanha e de liderança fornecidos pelas Nações Unidas, financiados pelo Governo da Suécia. O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 10 visa capacitar e promover a inclusão social, económica e política de todos, independentemente da idade, sexo, deficiência, raça, etnia, origem, religião, condição económica ou outras características

*Na comunidade Roma, “roubar” é uma expressão comum utilizada para quando um homem pede ao pai pela mão da filha em casamento

Tradução: CSW 2016 – 17º MINIONU

Postado originalmente por: ONU Mulheres <http://www.unwomen.org/en/news/stories/2016/3/from-where-i-stand-laura-bosnea&gt;

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s